sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Mundo Fortuna Prólogo -Readaptado-

Mundo Fortuna - Prólogo
Ruínas abandonadas Gaia

A ruína Gaia já estava abandonada a muito. Talvez antes este lugar fora mais um templo onde as pessoas adoravam a Deusa da terra, mas hoje não passa de rochas caídas. Sem muita iluminação no lugar, os muitos vaga-lumes ajudam a ver na escuridão. E para onde quer que você olhe, há muitos desenhos nas rochas e nas colunas gigantes. E é justamente isso que duas pessoas estavam tentando decifrar.

-Gatsu, vamos voltar. –A linda mulher com seus cabelos marrons se aproxima. Com seus olhos castanhos e seu nariz fino, era mais linda que qualquer outra mulher. Suas roupas eram maravilhosas, uma blusa de cor azul meio rasgada e uma saia branca. Seus 1,67 de altura eram o suficiente para deixá-la mais esbelta. - Já estamos aqui desde ontem à noite, estou com sono e fome.

-Caska, eu sei, mas... –Quem respondera fora um homem de 1,70 de altura. Cabelos pretos e arrepiados. Seus olhos lembravam o diamante e seu sorriso era determinador. Suas roupas eram normais, uma camisa preta bem justa ao seu corpo forte e uma calça preta. -A resposta para o nosso problema está aqui, nos desenhos nestas rochas.

-Nosso problema?! – Caska respondera alterando um pouco sua voz. -Porque você não entende de uma vez que isso que temos não é um problema, é uma dádiva dos deuses.

-CASKA! Não existem Deuses! Só a nossa força de vontade. Nós somos diferentes sim. Me diz... Me diz porque nascemos assim? Você pode curar os outros e eu posso materializar espadas... Nós fazemos parte das famílias mais pobres de Raveslash, simples Seyrykys Terrestres e como podemos fazer isso?

-Gatsu, sempre há uma explicação para tudo que ocorre em nossa volta, eu concordo com você que somos diferentes das outras pessoas, mas foi como eu falei, entrega essa tua dúvida nas mãos dos Deuses. Tenho certeza que você obterá sua resposta.

-NÃO EXISTEM DEUSES!

-Bem, se você não entende isso, eu só peço que os Deuses olhem por você.

-...

-Gatsu, vamos ir embora, depois voltamos. E hoje o Shikamaru irá voltar.

-Nossa! É mesmo. Esqueci completamente que hoje o Shikamaru irá voltar. Por onde será que ele andou todo esse tempo? Será que ele conseguiu descobrir algo sobre a origem dele?

-Não sei, mas vamos logo.

-Sim, mas hoje à noite eu irei voltar... Eu preciso descobrir a qualquer custo nossa verdadeira origem...

Depois desta conversa, Gatsu e Caska foram para suas casas em Raveslash. Essa foi à quinta vez que eles visitam essa ruína. Depois que Gatsu descobriu seus poderes ocultos em uma brincadeira de espadas e madeira a três anos, que na qual quase matou seu amigo com a espada, ficou com medo de si mesmo. Caska também descobriu seus poderes, e justamente foi curando o amigo adversário de Gatsu.

Cidade de Raveslash

Raveslash é mais uma das cidades que banham o continente Leste de Fortuna. É uma cidade costeira, por esse motivo, muitas pessoas chegam de outros continentes por Barcos. Por incrível que pareça, o índice de piratas é bem pouco, isso por que a cidade não é uma das maiores. Não vale a pena roubar de quem não tem nada. Há somente uma Taverna, conhecida como “A Taverna do Leste”.
A volta demorou um pouco, mas chegaram. Em casa, Gatsu procurou logo sua mãe, e falou que ainda não encontrara nada que pudesse o ajudar nas ruínas Gaia.

-Sabe mãe, eu deveria ficar feliz pelo o que sou... Mas não consigo.

-Filho, as pessoas são o que nasceram para ser. – Sua mãe era de sua altura, cabelos ruivos e era um pouco velha, Tinha 47 anos. Mas mesmo na meia idade ela aproveitava viver sua vida nos melhores momentos. Suas roupas eram simples para uma aldeã. -Eu tenho certeza que um dia você vai se acostumar com isso.

-Muito Obrigado por suas palavras, mãe. Mas eu posso te pedir uma coisa? Será que a senhora poderia me dizer um pouco mais sobre a pessoa que nos entregou a você? Quer dizer, um pouco mais sobre minha verdadeira origem...

-Gatsu, quando aquela mulher me entregou você e Caska 17 anos atrás, estava chovendo muito, mas mesmo assim eu vi o choro dela. Suas palavras foram curtas e sinceras “Por favor, ajude-me, eu preciso salvar essas duas crianças, meus filhos, o sol e a lua, por favor, salve-os. Eu não sei até quando vou poder escondê-los dele, ajude-me!”.

-Mas de quem ela estava correndo? Quem queria nos achar? Quem?!

-Eu não sei. A única coisa que ela falara depois disto foi que você acharia as respostas, o enigma da sua vida, na ruína Gaia.

-Mãe, seja lá o que for que eu devo achar, está bem escondido. Eu já fui 5 vezes e é sempre a mesma coisa. Não consigo decifrar os desenhos que estão nas rochas.

-Eu tenho fé que você conseguirá.

Finalmente depois de tanta espera, Shikamaru chegou a sua casa. Sua pele era branca, seus cabelos cinzentos iam até sua cintura e como de costume, ficavam presos com um pequeno laço. Seus olhos eram verdes e sempre andava com sua katana. Suas roupas estavam um pouco diferente de antes, uma camisa preta com abertura entre os peitos e uma calça que termina um pouco acima de seus calcanhares.

-Olá! Gatsu! –Uma pequena formalidade seria apertar as mãos, mas como eram grandes amigos, Shikamaru o cumprimentou com um abraço. -Quanto tempo, como você está?

-SHIKAMARU! Quanto tempo mesmo! Nossa! Já vai fazer 3 anos que não nos vemos. Por onde tem passado? Conseguiu descobrir alguma coisa sobre você?

-Hahahaha! Realmente, 3 anos... 3 longos anos... Bem, Gatsu, todo esse tempo eu venho procurando minha verdadeira origem, assim como você. E descobri tudo sobre minha vida.

-Sério?

-Sim, meu nome completo é Shikamaru Harumi e eu sou descendente direto de legendários cavaleiros que domavam dragões na antiga Fortuna, ainda na era do bronze.

-Putz! Mas isso foi a cerca de quase 2100 anos atrás, hoje estamos na era do ouro.

-Sim, é meio duvidoso, mas para mim é a pura verdade. E você? Como está depois de descobrir que foi abençoado pelos Deuses?

-Eu não acredito em deuses, você sabe muito bem que não dependo de nenhum deles para existir.

-Hahahaha! Eu sei, só queria ver como estava seu bom senso.

-Você não muda mesmo, hein, amigo. Eu fico feliz que você tenha encontrado sua
origem, mas eu infelizmente ainda não consegui encontrar a minha e nem a Caska.

-Entendo. E onde está a Caska? E... Vocês já foram à ruína Gaia?

-A Caska está na casa do nosso pai. Hoje à noite nós vamos voltar, depois que você se foi, nós só fomos 5 vezes lá. Nós encontramos alguns desenhos em algumas rochas, mas eles são incompreensíveis de certo modo.

-incompreensíveis? Por quê?

-Eu não sei exatamente como explicar, mas parece até que todos aqueles desenhos estão significando uma historia... Alguma coisa assim. Já que você vai ficar hospedado aqui em casa por algum tempo, porque não vem conosco hoje à noite?

-Claro, mas por hora vamos dormir, ainda são 10h00min da manhã e minha viajem foi longa, e pelas suas olheiras você também está com sono, não é?

-Para falar a verdade sim. Ontem eu e Caska ficamos a madrugada toda procurando respostas, vamos dormir um pouco e nos preparar para a noite. – E virando para sua mãe falara - Mãe, quando a Caska chegar nos acorde.

-Tudo bem, filho. Durmam bem vocês dois. E Shikamaru, sinta-se em casa.

A amizade é algo que nos faz pensar em coisas boas, momentos inesquecíveis, brincadeiras, brigas, respeito e confiança. Assim é a amizade de Gatsu e Shikamaru. Os dois se conheceram em um dos festivais que sempre ocorrem em Raveslash e desde então viraram grandes amigos. Assim como Gatsu, Shikamaru tem um passado desconhecido, ou melhor, pelo menos tinha.
O dia anoiteceu e Caska chegou a sua casa. Depois de acordá-los, os esperou comerem e logo partiram outra vez para a ruína Gaia. E chegando, logo Gatsu mostrou os desenhos a Shikamaru.

Ruína Gaia 20h12min

-Está vendo Shikamaru, são esses os desenhos.

-Não pode ser!! –Ao ver algum dos desenhos, shikamaru ficou completamente surpreso.

-O que foi Shikamaru? Porque o espanto?

-Esses desenhos, Gatsu... São quase iguais os que vi sobre a era do Bronze.

-Então você acha que pode nos ajudar? –Dessa vez quem perguntara fora Caska.

–Consegue decifrar estes desenhos?

-Eu não tenho muita certeza, mas acho que posso identificar alguns dos desenhos. –E apontando para um desenho formando um circulo falara: - Aquele ali, por exemplo. Esse circulo amarelo significa o Deus Sol, FLYER, e aquele outro azul significa a Deusa da lua, RIWHIT.

-Sol e Lua? Quando minha mãe falara as palavras daquela mulher, ela citou que nós éramos o Sol e a Lua, mas o que isso tem a haver?

-Calma Gatsu! Tem muita coisa a ser desvendada ainda. Está vendo aquela parede com aqueles minúsculos desenhos?

-Sim, o que têm eles?

-Na verdade são letras. Nesse tempo que eu estive fora, eu aprendi muita coisa sobre os antigos desenhos de Fortuna. Vou tentar decifrá-las.

-Caska, nós finalmente estamos prestes a saber quem somos! Nem acredito! Depois de tanto, nós finalmente vamos saber.

-Gatsu, eu sei quem eu sou! Você que ainda não aceitou o fato de quem ainda é você.

–Algumas vezes Caska ficava com um pouco de raiva de seu irmão. Ele nunca aceitou o fato de ser diferente, já ela, gostou muito.

-Gatsu, Caska, o que está escrito aqui é isso, para mim não significa nada, mas para vocês deve ter algum significado em especial. “Assim como o amor e o ódio, o Sol e a Lua não podem viver um sem o outro. A luz e a escuridão brigam para somente um reinar nos céus, mas se um vencer, nada será se viver sozinho. Sendo assim, a união entre a luz e a escuridão pudera ser feita. E feito isso, duas novas vidas surgiram sendo carnais. Mas a realidade de ter um filho gerou o conflito e assim veio a revolta.” -Eu só não entendo uma coisa...

-O que você não entende Shikamaru?

-Isto fora escrito há pouco tempo. Não exatamente “há pouco tempo”, mas... Quem escrevera isto, escrevera recentemente. O importante é que pelo menos agora vocês sabem um pouco da história. E o que vocês pretendem fazer agora?

-Eu não sei por que, mas eu já imaginara que fosse algo assim. –Caska falara confiante e feliz por suas dúvidas estarem sendo resolvidas. –Já que eu posso curar, eu pretendo seguir minha vida com o Clericato.

-Muito bom Caska, e você, Gatsu, o que você pretende fazer daqui para frente?

-Eu não entendo. Como pode ser... Eu e Caska somos filhos de Deuses. Eu sempre Odiei os Deuses e sempre os reneguei... Eu ainda preciso saber mais sobre isso, eu ainda não me conformo. Shikamaru, há mais alguma palavra?

-Bem, têm algumas aqui que eu não estou conseguindo ler. Parece que está escrito em outra língua. Muito estranho.

-E o que é?

-Errr, algo assim “Ol-ásnepmocer ieri ue e edadrev a odot árebas êcov, mim éta eugehc e otniribal olep essap.”

-Putz! O que Significa isso?

-Mais um desafio que teremos de vencer. –Caska falara olhando bem para seu irmão, e estava entusiasmada com o que estava acontecendo. -Se você quiser mesmo saber mais sobre nós dois, teremos de decifrar isto.

Agora eles Estavam frente a frente com mais um problema. Depois de voltar de sua viajem, Shikamaru tinha conhecimentos sobre aqueles desenhos, mas não fazia idéia de o que aquilo poderia ser.
Muito foi pensando, mas mesmo assim não estava adiantando. Passaram-se algumas horas desde que eles chegaram. Já estava amanhecendo, e sem dormirem o suficiente, já estavam com sono e fome. Mas, depois de pensar em algumas maneiras de como resolver aquilo, Caska resolvera escrever no chão arenoso as palavras que estavam nas paredes.

“Ol-ásnepmocer ieri ue e edadrev a odot árebas êcov, mim éta eugehc e otniribal olep essap.”

-Eu Sabia!- Nesta hora Caska deu um grito que despertou Gatsu e Shikamaru que já estavam quase dormindo. - Finalmente vamos dar o próximo passo!

-O que? Então você descobriu o significado disto? –Perguntaram os dois homens. –Mas como?

-Não foi simples, mas por fim resolvi. E eu também acho que alguém escreveu isso. Pelo o que vi... Alguém escreveu isto de propósito, como se fosse um teste. Olhem bem essas palavras, bastou apenas ler ao contrário, ficou algo como “Passe pelo labirinto e chegue até mim, você saberá toda a verdade e eu irei recompensá-lo.”

Dando um tapa na cabeça Gatsu falara: -Não dá para acreditar! Uma coisa tão fácil e levamos quase meio dia para resolvermos. Eu sei que já é tarde, mas nós precisamos entrar neste labirinto agora.

-Bem, Gatsu, eu também estou com vontade de descobrir mais sobre isto. E você Caska, vem conosco?

-Não tenho escolha não é? São 2 contra 1. Mas não querendo ser inconveniente... O que é esse Labirinto e como vamos chegar nele?

-NÃO PODE SER!!! –Gatsu expressou um pouco de raiva, afinal, é perfeitamente compreensível.

-Outra vez na estaca zero, que droga.

-Desta vez não, Gatsu. Tem mais uma coisa ali, um desenho. Eu já vi algo parecido. – E colocando as mãos sobre o mesmo, Shikamaru teve certeza de o que era aquilo. – É isto mesmo! Isto aqui é uma espécie de fechadura, não tenho muita certeza, mas pelo o que li, a fechadura estando sobre este símbolo, seu outro lado dará em outra dimensão, conhecida como o Labirinto dos Seyrykys Deuses. Para entrar é preciso usar um pouco de magia. Eu acho que se nós três ajuntarmos nosso poder, podemos passar.

-Shikamaru eu fico impressionada com a sua sabedoria, mas se tivermos de fazer isto, vamos fazer. Os três juntos.

E assim estavam prestes a darem o próximo passo. Gatsu materializou uma espada com o seu poder, e Caska, colocando a mão sobre a mesma, deu pouco de seu poder para a espada de Gatsu. E Shikamaru, Impressionado com o que estava vendo, também colocou sua mão sobre a espada de Gatsu. E foi nesse momento, quando Gatsu colocou sua espada sobre a Fechadura, que a maior aventura de suas vidas iria começar...
Impressionados com o que estavam vendo, misteriosas luzes os envolveram. Uma cor para cada um, e cada luz com o seu significado. Gatsu ficou com a luz vermelha, significando a força. Caska com a luz azul, significando a sinceridade e Shikamaru, ficou a luz verde, significando conhecimento.

Um comentário:

ivanete moreira Silva disse...

Oi tudo bem meu nome é Ivanete, descobri a + ou - 4 que tenho Neurorretinite, vc diz em seu blog que ñ tem tratamento e nem cura,ñ desista, eu espero do fundo do meu coração que um dia irei exergar dos dois olho,e te digo ñ desista, seu eu souber de algum tratamento entro em contato, e por favor faça o mesmo.Pra Deus nada é impossível a medicina esta cada vez mais evoluindo, vamos torce abraços.

The World Fortuna

Divirtam-se Lendo Mundo Fortuna ;D